Notícia
14/03/2014

Culinária dos imigrantes alemães faz parte da gastronomia brasileira

Há mais de 180 anos que os alemães iniciaram a imigração ao Brasil. E na bagagem, além de poucos pertences trouxeram hábitos e receitas que podemos provar hoje em algumas cidades como Pomerode, Blumenau, Santa Cruz do Sul e Campos do Jordão, por exemplo.

Culinária dos imigrantes alemãs faz parte da gastronomia brasileira.

Eu fico muito contente de ver como estas receitas se fixaram e se adaptaram neste país cheio de sabor, cor e aroma. É fácil de ver a técnica da receita misturada com os ingredientes brasileiros. Eu celebro isso!

Acredito que o principal desafio era cultivar e adaptar as receitas a oferta de novos produtos, sofrendo assim algumas alterações. Hoje esta evolução faz parte da culinária brasileira listando, por exemplo, o marreco recheado, joelho à pururuca, truta com pinhão, rocambole de maçã (Apfelstrudel), o leitão assado, a batata recheada, o macarrão caseiro (Spätzle), o peixe em conserva (Rollmops), as diversas cucas com frutas ou cremes, as ricas tortas como a Floresta Negra e Torta Alemã, diversos tipos de linguiças e salsichas como Bock, Weiss e lingüiça tipo Blumenau, etc….

Salsicha branca, chamada Bratwurst em alemão.

E claro, não podemos nos esquecer da cerveja que é a bebida nacional do Brasil. Com o crescimento gastronômico houve uma valorização da lei de pureza fazendo surgir novas marcas e a degustação virou alvo da gastronomia. Encontramos hoje muitas ofertas e diversos sabores de cerveja no Brasil.

Com a tradição a culinária dos imigrantes alemães no Brasil manteve-se ligada a preparações de receitas que carregam nata, manteiga, bacon, carne de porco, muitos miúdos, queijos, conservas, embutidos, etc., pois era o tipo de alimentação típica para o clima alemão: frio rigoroso com pouco sol.

Algumas receitas sofreram adaptação com o clima no Brasil que ofereceu ingredientes leves, a exemplo das cucas que receberam outras frutas além das maçãs e cerejas, como bananas, carambola, abacaxi, pêssego, coco, etc.

As culturas de imigrantes estão sofrendo transformações.

Hoje com a evolução da gastronomia no Brasil todas as culturas de imigrantes estão sofrendo transformações e redefinindo suas receitas, além dos pratos tradicionais citados acima o cliente pode optar hoje pelas novas criações como bolinho de batata em crosta de tapioca com farofa de bacon, molho de ervilha, panqueca fria com salmão defumado ou filé Schwarzwald – bife da floresta negra com molho de ervas e aspargo branco.

Cardápio típico alemão: salsichas e joelho de porco.

Nas minhas produções, eu gosto de usar, por exemplo: lingüiça cozida no chucrute, tulipa de pato, maçã verde caramelada com alfavaca, waffles alemães com sorvete ao molho de quentão, mini-barreado de galeto e feno, filé de linguado ao molho de cerveja, entre outras.

Podemos afirmar, contudo que a cozinha brasileira está evoluindo e entrando no mercado internacional levando seus ingredientes e carregando a influência dos imigrantes.

Abraços,
Chef alemão Heiko Grabolle.

 

Fonte: http://heikograbolle.wordpress.com/2012/06/09/culinaria-dos-imigrantes-alemas/

Listar todas as notícias
  • 14/03/2014
    “As minhas receitas alemãs” é a minha coleção de mais de 50 receitas alemãs para facilitar a procura  no meu blog. Espero que esta lista possa ajudar a divulgar a culinária alem&...
  • 14/03/2014
    Realizada no segundo sábado do mês. Local: Praça Leopoldo Francisco Kretzer, em frente à Prefeitura de São Pedro de Alcântara-SC. Venda de chocolate caseiro, bolachinhas artesanais, recheio d...
  • 13/03/2014
    Revista de História, da Biblioteca Nacional (RJ), a mais conceituada do país, apresenta em sua edição 102, de março de 2014, o dossiê “Alemães: como os germânicos viraram brasil...